Protocolo HTTP 2.0

Boa notícia para todos os usuários da internet. A nova versão do protocolo HTTP está oficialmente finalizada e aprovada. Mark Nottingham, presidente da Internet Engineering Task Force (IETF), grupo de trabalho por trás da criação das normas da internet, anunciou em um post de blog que as especificações da HTTP 2.0 estão finalizadas. Agora as especificações vão passar pelas últimas formalidades antes da publicação do protocolo como um novo padrão. A modificação é a maior variação do HTTP nos últimos 16 anos.

O HTTP, ou Hypertext Transfer Protocol, é familiar para a maioria dos usuários como o http: // no início de um endereço web. O Protocolo HTTP rege as conexões entre o navegador do usuário e o servidor que hospeda um site, inventado pelo pai da web, Tim Berners-Lee. A última atualização do protocola havia sido em 1999, quando o HTTP 1.1 foi adotado. A nova versão promete entregar páginas da Web para navegadores de forma mais rápida, permitindo que os usuários possam ler mais páginas, comprar mais coisas e realizar pesquisas mais rápidas na Internet.

O HTTP/2 é baseado no protocolo SPDY, um protocolo introduzido pelo Google em 2009 e adotado por algumas tecnologias incluindo o próprio navegador do Google Chrome, Mozilla Firefox, Internet Explorer da Microsoft, muitos sites como o Facebook, e alguns dos softwares que fornece páginas da Web para browsers. O SPDY foi projetado para acelerar o carregamento de páginas da web e a experiência de navegação dos usuários online. Além disso, tanto o SPDY como o HTTP/2 uitilizam “header field compression” e “multiplexing” para permitir que os navegadores possam fazer várias solicitações para servidores web através de uma única conexão. O novo protocolo usa o “multiplexing” para permitir que muitas mensagens sejam intercaladas em uma conexão ao mesmo tempo, de modo que as respostas que lavam um longo tempo para o servidor carregar não bloqueie as outras que estão sendo executadas paralelamente. Outra modificação é relacionada a segurança através da substituição da tecnologia de criptografia TLS (Transport Layer Security, anteriormente chamado SSL Secure Sockets) em HTTP/2.

Ainda não sabemos se todos os navegadores adotarão o novo protocolo, mas a padronização é necessária que todos os usuários possam tirar proveito do novo padrão. O Google já anunciou que irá adotar o HTTP/2 no chrome no início de 2016. A tendência é que após o Google, os outros navegadores sigam a mesma tendência.

Fonte da notícia: The Hacker News