A tecnologia da informação é um ambiente que atravessa mudanças cada vez mais rápidas e vem modificando a forma como as pessoas se relacionam e trabalham. Esse novo cenário exige que os Chief Information Officers (CIOs ou Diretores de Tecnologia da Informação) estejam sempre atualizados com as principais tendências no mercado, antevendo as demandas da empresa em que trabalham e focando seus esforços em atividades estratégicas para o negócio.

Acompanhar a evolução do mercado de TI globalmente é um fator crítico para que o CIO conquiste seu espaço internamente e contribua para a competitividade da organização. Entenda o que o CIO precisa saber para se antecipar aos problemas e focar no negócio nos próximos anos.

 

Aproximação do CIO com o CFO

Vem ocorrendo uma tendência de mudança no cargo dos CIOs. Se antigamente o perfil era de um profissional da área técnica que era promovido, hoje a tendência é de um especialista oriundo da área de negócios ou financeira. Isto se deve à aproximação entre o CIO e o CFO e à dificuldade de os dois falarem a mesma linguagem. Em algumas empresas o cargo de CIO nem existe mais, porém o profissional técnico que desenvolve qualificações na área de negócios entra com grande vantagem na disputa por essas vagas e, sem dúvida, não corre riscos.

 
CIO

 

O futuro é digital

É possível observar que, nos últimos anos, muitas das soluções para aumentar as vendas e a produtividade das empresas passaram por recursos relacionados ao mundo digital. Em muitas organizações, o tradicional CIO poderá se tornar o CDO, ou seja, o Chief Digital Officer. Dessa forma, o CIO deve desenvolver conhecimentos específicos das mais recentes tecnologias e se preparar para entregar projetos de alta complexidade técnica, tudo isso com uma gestão otimizada do orçamento.

 

Os trabalhadores móveis

É desnecessário consultar pesquisas e estudos para perceber que os dispositivos móveis, como tablets e smartphones, já fazem parte da realidade das pessoas, trazendo impactos também para o ambiente de trabalho. Não se assuste caso os computadores desktop desapareçam da sua empresa nos próximos anos!

Com isso, os CIOs devem estar atentos às soluções móveis e de computação em nuvem que permitam o acesso a partir de qualquer lugar, favorecendo a colaboração entre os funcionários nos projetos e processos. Dessa forma, é possível que setores tão diferentes quanto vendas e logística otimizem seu trabalho no dia a dia e se sintam estimulados a buscar melhores resultados.

 

Medindo tudo

Com a ampla utilização de sistemas para a realização da maior parte das tarefas realizadas nas empresas, é possível mensurar diversos aspectos do negócio. As novas tecnologias permitem armazenar, compartilhar, medir e analisar uma imensa quantidade de dados em tempo real, sejam eles relacionados aos processos da empresa ou ao comportamento de seus consumidores.

Nesta era de Big Data, o CIO deve ficar atento para que as informações geradas pela empresa e pelo mercado sejam armazenadas e analisadas de forma adequada, apoiando as decisões estratégicas relacionadas ao negócio.
Os decisores de TI que não medem indicadores de qualidade devem começar a fazer isso o mais rápido possível. Não existe mais espaço para empresas que não têm área de TI como diferencial competitivo, indo muito além de dar sustentação aos sistemas e “apagar incêndios”.

 

Cada vez mais ágil

A tecnologia da informação vem se tornando mais acessível a diversas camadas da população. Por isso, é natural que os funcionários das empresas sintam-se cada vez mais dependentes de máquinas e sistemas de alta performance. Isso exige que o CIO garanta recursos necessários para modernização das tecnologias usadas pela empresa, proporcionando condições de trabalho adequadas para os colaboradores.

 

Novo comportamento

A necessidade de maior agilidade também impacta a forma como as empresas desenvolvem seus sistemas e softwares. Os novos projetos precisam ser executados de forma mais ágil e adaptável a mudanças: os softwares que levavam anos para serem produzidos, com base em centenas de pequenas etapas sequenciais e dependentes entre si, já não condizem mais com a necessidade das empresas. O produto mínimo viável (MVP), oriundo das metodologias ágeis, começa a ser aplicado em grande escala. As empresas não podem mais gastar tanto tempo em desenvolvimento sem pequenos testes no mercado para avaliar resultados e usabilidade. As atualizações também precisam ser feitas a todo o momento e não somente em ciclos periódicos, como antigamente.

 
Com tudo isso, não é difícil perceber que o mundo de TI está em constante evolução. Cabe ao CIO identificar as principais tendências do mercado e trazê-las para a empresa o quanto antes. Lembre-se que isso não significa embarcar no último modismo e perder o foco, mas sim ficar atento às mudanças que vieram para ficar.