Menu
Contato Comercial
Por: Maria Paula Carvalho em 04.03.2022

Como implementar uma cultura data driven

No contexto atual de Big Data, no qual as empresas enfrentam o desafio de lidar com grandes volumes, variedade e velocidade dos dados, a cultura data driven ganha um espaço cada vez maior. Isso porque, lidar com dados é um fator de grande relevância para as organizações que buscam embasar a tomada de decisões empresariais.

Para esclarecer conceitos, desafios e vantagens dessa gestão organizacional dos dados, este artigo conta com informações e dicas relevantes para diferentes tipos de negócios.

 

O que são dados?

Por definição os dados são fatos coletados, armazenados e que podem ser expressos em formato de textos, números, gráficos ou qualquer unidade que possa vir a ser armazenada em um banco de dados.

O dado por si só, em sua forma bruta, não conduz a uma compreensão. Mas quando é agrupado a outros dados ele se torna uma informação, podendo ser comparado e assim gera uma organização e transmissão de significado aos dados em determinado contexto.

A informação advém da análise e interpretação dos dados. A partir dela que se pode gerar conhecimento e insights para tomada de decisões.

 

O que é cultura Data Driven?

Dada a volatilidade do mercado fica cada vez mais difícil para as empresas guiarem suas decisões por meio de “intuição” dos seus gestores e colaboradores, como a maioria fazia no passado e muitas, ainda hoje fazem. Os dados gerados pelas empresas quando bem utilizados e analisados podem ser um bom caminho para tomada de decisões de maneira estratégica que agrega alto valor para a organização.

Sendo assim, a cultura data driven, que nada mais é do que a tomada de decisões baseada nos dados, chega justamente para que as organizações comecem a guiar seus negócios com os dados que têm disponíveis, ou trabalhar pela busca de novos e, dessa forma, agir com consciência dos fatos relacionados aos seus clientes, recursos e transações.

 

Quais problemas uma empresa que não é data driven enfrenta

Se em sua empresa há muitas informações importantes, mas não há conhecimento suficiente para interpretá-las, o seu processo de tomada de decisão se torna mais demorado do que deveria e você perde espaço para a concorrência. Esse é um grande indício de que há uma necessidade de dar maior atenção ao processo de se tornar data driven.

Como exemplo de problemas enfrentados por empresas que não tem uma cultura orientada a dados, podemos citar:

 

Tomada de decisões baseada apenas na intuição de seus funcionários

Esse fator pode fazer com que a empresa guie os seus próximos passos com base no conhecimento e experiência de um dos seus gestores ou funcionários, que pode não estar condizente com a realidade atual da empresa ou do mercado. Isso, especialmente no período atual, se tornou uma grande questão.

 

Pressões externas ditam as decisões

Isso deve ocorrer principalmente porque a empresa não tendo boa noção do cenário em que se encontram, não conseguem fazer previsões quanto ao seu posicionamento e podem ficar muito vulneráveis quanto à mudanças ou crises no mercado.

 

Processos e resultados com difícil repetibilidade

Ocorre, normalmente, quando não há uma devida documentação do processo, assim como uma boa disseminação dessas informações armazenadas.

 
📺 Se você tem interesse em descobrir ainda mais detalhes sobre a cultura data driven, assista nosso vídeo:

 

 

Quais os desafios de ser data driven

Agora é interessante falarmos um pouco sobre os desafios porque, definitivamente, nada em tecnologia é um mar de rosas. Para tomar decisões baseadas em dados, é importante primeiro saber quais dados estão disponíveis e como encontrá-los. Uma vez que se sabe quais os dados que estão disponíveis, é preciso fazer com que eles façam sentido para pautar as decisões, pois isso vai envolver a necessidade de um profissional que consiga extrair informações relevantes e estratégicas para a empresa.

Lidar com o grande volume de dados em uma organização, às vezes se torna um processo desafiador. Muitas empresas enfrentam obstáculos culturais com relação à resistência de seus funcionários diante da mudança para uma cultura data driven. É importante destacar, também, que o trabalho com dados é constante e envolve o processo de tentativa e erro, interação, otimização e monitoramento. Então, manter esse ciclo vivo e constante, por si só, é um grande desafio.

 

Como ser data driven beneficia as organizações

Entenda quais são os principais benefícios trazidos para as organizações ao implementar uma cultura data driven.

 

Agilidade e eficiência na tomada de decisão

Já que é possível visualizar de maneira fácil e acessível os principais indicadores-chave de desempenho (KPI) que pautam os direcionamentos que a organização adota, assim como outros processos relacionados à monitoração de informações.

 

Previsões mais assertivas que promovem um fomento à inovação

Isso porque, a partir dos dados presentes e passados, é possível prever, de certo modo, utilizando determinadas ferramentas e métodos, qual será o comportamento das vendas, por exemplo. A partir disso, é possível traçar estratégias inovadoras para manter ou melhorar o padrão previsto.

 

Redução de custos com o compartilhamento de informação

Esse fator possibilita o desenvolvimento de produtos e serviços superiores. Isso porque você pode, por exemplo, entender melhor o perfil de consumo dos seus clientes e construir um produto que se adeque melhor às necessidades deles.

 

Mais adaptabilidade e reações rápidas às mudanças

Isso é possível com a noção fácil e acessível dos indicadores atualizados. Então, é possível perceber facilmente como vai a saúde da organização quanto às reações do mercado. E, assim, é possível se posicionar de uma maneira muito mais ágil.

 

Ganhar mais clientes

Com isso é possível, tanto você pautar o escopo do seu produto/serviço de acordo com dados externos ou internos, quanto, também utilizar esses dados para atingir um público-alvo específico.

 

Adquirir e manter melhor relacionamento com os clientes

Por meio de pesquisas para obtenção de níveis de satisfação, ou estudos de como o cliente reage a determinadas tendências, é possível determinar por exemplo, se a solução implementada agradou ao cliente, ou qual o meio de comunicação ele é mais responsivo etc.

 

Aumentar receitas e lucros

Esse fator deve ser uma consequência dos benefícios listados. Isso porque, se a empresa posiciona sua postura para analisar seus dados, consegue maior assertividade no seu planejamento financeiro, na maior customização dos seus produtos e serviços para seu público, fazer melhores previsões e, dessa forma, otimizar os seus ganhos.

 

Business Intelligence e data driven

Muito mais do que tecnologias e ferramentas, a inteligência de negócios é um processo sobre dados, pessoas e cultura organizacional que está intimamente ligado à Jornada data driven.

A inteligência de negócios envolve a transformação de dados em informações e visualizações poderosas com auxílio de processos e tecnologias que facilitam a tomada de decisão empresarial. Sendo assim, ela fornece à organização inteligência competitiva para acompanhar a velocidade do mercado.

 

Implementação e Consultoria em Business Intelligence - BI

A OpServices entra nesse sentido justamente para auxiliar no processo de fornecer essa maturidade frente aos dados, de modo a guiar as empresas em como organizar e estruturar essas informações, por meio da geração de relatórios automatizados em Power BI.

Desse modo, a OpServices atua com uma consultoria que entende do negócio e adequa os relatórios às suas necessidades. Isso, com certeza, já é um grande passo para o início da jornada data driven.

Caso você tenha interesse em dar início a cultura data driven na sua empresa, entre em contato com nossos especialistas. Estamos à disposição para tirar suas dúvidas.

Compartilhe:

ESCRITO POR

Maria Paula Carvalho

Posts Relacionados

ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA
NOSSOS MELHORES CONTEÚDOS!

ASSINE NOSSA NEWSLETTER!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos