À medida que as organizações passaram a se preocupar com o crescimento sustentável do negócio (pensando não somente em seus resultados, mas também no ambiente que as cerca), os stakeholders entraram de vez em cena. E “stakeholder” nada mais é do que um termo em inglês para definir as pessoas ou os grupos que podem ser influenciados por algum projeto ou processo de uma empresa, ou então influenciá-lo.

 

Gerenciamento de stakeholders

 
As organizações preocupadas com a sua sobrevivência no mercado no longo prazo devem implementar boas práticas para se relacionar com esse tipo de público. Neste post você vai conferir 4 dicas para gerenciar os stakeholders da sua empresa!

 

Acerte o alvo

Nossa primeira dica é identificar os stakeholders de forma correta. Para isso, o empreendedor precisa saber que eles podem ter altos ou baixos níveis de poder e de interesse para o seu negócio.

Em um extremo estão os stakeholders com alto poder e alto interesse: provavelmente eles são os investidores ou patrocinadores dos seus empreendimentos. Já os que possuem alto interesse, mas baixo poder, são os clientes: embora não tenham atuação direta sobre seu negócio, podem influenciá-lo com base na demanda pelos produtos e serviços.

Do outro lado da moeda estão os stakeholders com alto poder, porém baixo interesse: geralmente são aqueles gestores e parceiros que podem atrapalhar ou apoiar as iniciativas da empresa de alguma forma, sem precisarem de poder para isso. E por último, aqueles com baixo poder e baixo interesse: ainda que possam ser monitorados somente de longe, esses stakeholders também precisam ser informados sobre o status da maioria das ações.

 

Conheça as expectativas

Muitos dos problemas relacionados ao gerenciamento de stakeholders têm como origem o desalinhamento das expectativas entre as partes. Por isso, nossa segunda dica é promover um alinhamento constante entre investidores, clientes, fornecedores, parceiros, funcionários, sociedade civil, imprensa e outros públicos que possam ter qualquer influência sobre o negócio.

Isso deve ser feito por meio de uma comunicação aberta, transparente e constante, em que os objetivos das iniciativas são devidamente divulgados a todos.

 

Envolva as pessoas

Os stakeholders devem estar sempre envolvidos ativamente nos processos e projetos da sua empresa com o máximo de antecedência possível. Isso deve ser feito por meio de pedidos de feedbacks, comentários e sugestões, por exemplo. Ainda que alguns desses retornos não sejam aproveitados na prática, eles servem para mostrar que sua empresa está aberta ao diálogo.

 

Capriche na comunicação

Gerenciar os stakeholders passa, necessariamente, por uma boa comunicação. Por isso, além de identificar os públicos-chave (como vimos no primeiro tópico), ainda é preciso definir uma estratégia de comunicação específica para cada público, a periodicidade das divulgações e o formato das mensagens.

Nesse momento, não se esqueça de que cada perfil de stakeholder demanda um nível diferente de informação, exigindo a produção de mensagens direcionadas, personalizadas e familiares para cada um deles.

Ainda que o relacionamento com os stakeholders possa ser aprimorado com essas dicas, cabe somente aos empreendedores e gestores desenvolverem seus conhecimentos e habilidades em liderança para se tornarem capazes de negociar com seus públicos com mais propriedade, mantendo-os sempre envolvidos nos objetivos do negócio.

 

Artigos relacionados

Qual é o custo de um downtime?
O que é Governança de TI? Entenda aqui!
MTTR e MTBF: o que são e quais suas diferenças?