Certificações de TI mais requisitadas em 2019

Por: Pedro César Tebaldi Gomes em 06.11.2019
Certificações de TI mais requisitadas

O mercado de TI no Brasil está em constante expansão: somos o maior da América Latina, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), que aponta um crescimento de 4,2% ao ano, e entre os dez maiores mercados de tecnologia mundiais, segundo o EMI Insights.

A estimativa é que manteremos esse crescimento até 2022, o que exigirá das empresas a contratação de profissionais cada vez mais especializados. Isso tende a fomentar o mercado de trabalho e a busca por qualificação. Aqueles que puderem se diferenciar conquistarão melhores oportunidades e salários.

O aumento dessa demanda é, em boa parte, resultado do reconhecimento das empresas pela necessidade de uma gestão da informação mais efetiva, além do surgimento de ferramentas e soluções cada vez mais disruptivas e da automatização e digitalização de processos como única forma de manter-se no mercado com um diferencial competitivo.

Essa busca por eficiência e baixo custo a partir do uso da tecnologia cria um déficit no mercado de trabalho: soluções modernas também precisam de pessoas que saibam implantá-las, geri-las e mantê-las em pleno funcionamento. Para aproveitar ao máximo os recursos de cada uma delas, os fabricantes fornecem certificações que atestam essa capacidade aos profissionais devidamente qualificados.

Neste artigo você descobrirá algumas das certificações mais importantes e requisitadas pelo mercado atual.

 

O que são certificações na área de TI?

O setor de tecnologia da informação é um dos mais amplos do mercado, pois, basicamente, suas soluções e modelos de gestão são aplicáveis em qualquer campo de conhecimento, conforme pode ser observado no Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia.

De tempos em tempos, essas ferramentas e frameworks são atualizados e exigem capacitação de profissionais especializados que saibam lidar com a inovação. É justamente para suprir essa demanda que as empresas lançam diversos cursos e certificações em TI, que podem ser conquistados em diferentes níveis, de forma progressiva.

Assim, as certificações de TI complementam uma graduação ou curso técnico do setor — análise e desenvolvimento de sistemas, banco de dados, defesa cibernética, gestão da tecnologia da informação, jogos digitais, sistemas de telecomunicações, entre outros, e amplia os horizontes dos profissionais em diversos aspectos.

Isso, porque cursos superiores ensinam e trabalham os alicerces do pensamento crítico e o desenvolvimento de processos, ferramentas, sistemas e soluções ligados à tecnologia, como linguagens de programação, teoria computacional, padrões de desenvolvimento de sistemas, arquiteturas e plataformas.

Enquanto as certificações preenchem lacunas deixadas pelas ementas no que diz respeito à qualificação para o uso de soluções específicas — softwares, hardwares, plataformas, frameworks e outros produtos licenciados que, apesar de o alto valor agregado, necessitam de capital intelectual para serem aplicadas e usadas plenamente nas infraestruturas de TI.

Dessa forma, as certificações de TI capacitam os profissionais que já atuam nesse ramo de atividade, mas desejam ampliar seu campo de trabalho e ainda, permitem que as empresas tenham em seu quadro de colaboradores, pessoas que realizam atividades e gerenciam processos ligados a esses produtos com a máxima qualidade, para efetivar produtividade e eficiência.

 

Por que investir nas certificações em TI?

Segundo a Pesquisa Salarial 2018 feita pela consultoria Robert Walters no Brasil, as profissões mais promissoras e requisitadas fazem parte do setor de tecnologia — cientistas de dados, profissionais de segurança da informação e inteligência de negócios, desenvolvedores web e de linguagens computacionais, engenheiros de software e arquitetos de soluções, com perfil diferenciado, certificações específicas, conhecimento de gestão e fluência em inglês.

Para os profissionais de TI é um grande diferencial ter em seu currículo as certificações oferecidas pelas empresas mais renomadas do mercado. Além de terem preferência na ocupação de cargos mais altos, com salários mais atrativos, é uma forma de crescer e ter autoridade mesmo sem experiência.

A obtenção dessas certificações exige muito mais que conhecimento teórico: sugere aos recrutadores que o profissional é persistente e se esforça para conquistar seus objetivos. Essas são características imprescindíveis para cargos ocupados no setor de TI que, além disso, requerem constante aperfeiçoamento.

Essa possibilidade de desenvolver-se profissionalmente atrai muitas pessoas que desejam atuar nesse segmento tão crescente e valorizado: segundo uma publicação da Revista Exame, escrita com base nos dados da Glassdoor — antigo LoveMondays, o salário de um CTO (Chief Technology Officer) é o mais alto entre as demais operações organizacionais.

As empresas também ganham quando investem na capacitação de seus profissionais: ter em seu quadro de colaboradores pessoas altamente capacitadas aumenta a credibilidade do negócio, pois demonstra preocupação pela qualidade dos processos e seus resultados ofertados no mercado.

Além disso, quando os membros de uma equipe têm conhecimento aprofundado sobre os processos que compõem suas rotinas e sabem os meios para tornar suas tarefas mais ágeis, se tornam mais produtivos e eficientes: encontram respostas mais rápidas para os problemas, reduzem índices de desperdício, falhas e retrabalho, criam métodos mais eficazes para chegar a resultados melhores e têm mais autonomia na tomada de decisão.

Na área de TI surgem inovações a cada momento: são tecnologias, frameworks e linguagens de programação criadas para antecipar a transformação digital nas empresas, a fim de colocar em prática os conceitos como inteligência artificial, machine learning e IoT (Internet of Things ou Internet das Coisas).

Essa alta conectividade exige uma infraestrutura que suporte os processos e gere dados para uma gestão mais eficiente. Paralelamente, pessoas capacitadas para interpretar essas informações, garantir produtividade e segurança serão cada vez mais necessárias no mercado de TI.

 

Quais as certificações em TI mais valorizadas?

Existe uma enorme variedade de programas de certificação, mas, alguns são mais valorizadas pelo mercado devido ao alto índice de empresas que operam com as soluções das fabricantes que os disponibilizam.

As certificações têm muitas particularidades, pois são aplicadas em contextos diferentes: gestão de recursos de TI, projetos ou para a segurança da informação, por exemplo. Confira as principais a seguir.

 

Engenharia e Arquitetura de Dados

Com o aquecimento das funções ligadas ao Big Data e à Ciência de Dados, as empresas necessitam cada vez mais do engenheiro de dados, o profissional responsável por criar estruturas para coleta de dados em tempo real. Esse profissional é o cara que disponibiliza os dados no formato adequado para depois serem analisados. Ele precisa conhecer uma série de arquiteturas para Big Data e a IBM possui algumas certificações específicas para isso.

IBM Certified Data Architect – Big Data
Site oficial: http://www-03.ibm.com/certify/certs/50001701.shtml
Investimento: USD$200.00
Idioma: inglês

Certificação: IBM Certified Data Engineer – Big Data
Site oficial: http://www-03.ibm.com/certify/certs/50001501.shtml
Investimento: USD$200.00
Idioma: inglês

 

AWS

Com a migração das infraestruturas de TI para a nuvem, a maioria das empresas estão adequando suas estruturas organizacionais e buscando profissionais especializados em administração de cloud computing. Uma destas certificações é a AWS, hoje líder em market share para computação em nuvem.

Suas certificações são baseadas em cargos de Cloud Practitioner, Architect, Developer, e Operations. A partir disso, a AWS oferece três níveis:

Professional: Dois anos de experiência abrangente criando, operando e solucionando problemas usando a AWS.

Foundational: Seis meses de Nuvem AWS fundamental e conhecimento do setor.

Associate: Um ano de experiência na solução de problemas e implementação de soluções usando a Nuvem AWS.

 

Microsoft

A Microsoft disponibiliza inúmeras certificações, que podem ser tiradas conforme o âmbito de atuação do profissional, conhecimentos prévios e seu tempo de experiência. Por isso, muitas vezes é preciso comprovar que o candidato tem conhecimentos específicos.

A Microsoft Certified Solutions Developer, por exemplo, tem validade de dois anos e garante a habilitação profissional para o desenvolvimento e administração de aplicações web em ambiente Windows. O teste abrange três etapas:

  • programação em HTML5, com CSS3 e JavaScript;
  • desenvolvimento de aplicações web ASP.NET;
  • desenvolvimento em Windows Azure e serviços web.

Além dela a gigante disponibiliza a Microsoft Certified Specialist, Microsoft Certified IT Professional, Microsoft Certified Desktop Support Technician, Microsoft Certified Database Administrator (habilita administradores de banco de dados SQL Server) e Microsoft Certified System Engineer, que requer a realização de sete exames sobre diversas áreas de conhecimento.

 

Red Hat

Habilita arquitetos e engenheiros de sistemas capazes de projetar e administrar soluções baseadas na tecnologia Red Hat e seus ambientes complexos. Podem ser obtidas somente com a realização de exames nos centros de testes autorizados pela empresa, com um mix de questões teóricas e práticas:

  • RHCT: Red Hat Certified Technician;
  • RHCE: Red Hat Certified Engineer;
  • RHCA: Red Hat Certified Architect.

 

VMware VCP-Cloud

Permite que o profissional instale, configure e administre com todos os requisitos da gestão da informação — disponibilidade, integridade e confidencialidade dos dados, os ambientes estruturados em nuvem.

Existem poucos profissionais com a competência de migrar infraestruturas legadas para a nuvem, além disso, com essa certificação eles estarão habilitados a compreender todos os tipos de arquitetura em cloud — privadas, híbridas e públicas e, por isso, são muito valorizados no mercado.

 

Certified Information Systems Security Professional (CISSP)

De propriedade da ISACA, essa certificação é uma das mais importantes quando se trata de segurança da informação e foi a primeira credencial na gestão de dados a atender aos rigorosos requisitos da Norma ISO/IEC 17024. Sua abrangência viabiliza aplicações para garantir a segurança no(a):

  • desenvolvimento de softwares e aplicações;
  • gestão de datacenters legados ou em nuvem;
  • dispositivos móveis;
  • gestão de riscos, entre outros.

O profissional com essa certificação atua fortemente no combate a ataques cibernéticos e violação de dados por meio do monitoramento de redes e da aplicação de seus conhecimentos para a conscientização das equipes organizacionais acerca da importância da seguridade dos processos em todos os níveis.

O teste é reconhecido internacionalmente, é composto por 250 questões sobre desenvolvimento de soluções e operações de segurança, segurança de rede, testes e ativos de TI, tem duração máxima de 6 horas e garante a certificação apenas para candidatos com mais de 70% de aproveitamento.

 

Certified in the Governance of Enterprise IT (CGEIT)

Está entre umas das mais requeridas pelo mercado de trabalho, sendo indicada para profissionais que atuam na governança de TI — gestão estratégica, de riscos e de recursos. Também de propriedade da ISACA, exige mais de cinco anos experiência em cargos de gestão de TI, com vínculo comprobatório nas respectivas empresas.

 

Linux Professional Institute (LPI)

Segue um padrão global de certificação profissional Linux, sendo o maior de código aberto do mundo. Oferece exames em nove idiomas e tem centenas de parceiros de treinamento para ajudar na obtenção da certificação. Abrange as seguintes certificações com validade de cinco anos, exceto a Essentials que não expira:

  • LPI Linux Essentials: capacita para a compreensão e o uso do editor básico de linha do console e dos processos, programas e componentes do sistema operacional Linux;
  • Engenheiro de Ferramentas do Linux Professional Institute DevOps: permite dominar atividades relacionadas a engenharia e arquitetura de software, implantação de máquinas, gestão, configuração e monitoramento de soluções;
  • Administrador Linux Certificado LPIC-1: possibilita a realização de tarefas de manutenção em linhas de comando e a instalação e configuração de computadores com Linux e redes básicas;
  • Engenheiro Linux certificado pelo LPIC-2: permite administrar redes mistas de pequeno e médio porte;
  • LPIC-3 300: Linux Enterprise Professional: capacita a habilidade de integrar serviços Linux em um ambiente misto;
  • LPIC-3 303: Linux Enterprise Professional Security: habilita o profissional a proteger e fortalecer servidores, serviços e redes baseados em Linux;
  • LPIC-3 304: Linux Enterprise Professional: permite promover a virtualização e alta disponibilidade das tecnologias baseadas em Linux.

 

Oracle Certified Professional Advanced PL/SQL Developer Certification

Essa certificação de TI é recomendada para profissionais que trabalham no desenvolvimento de bases de dados PL/SQL (server-based). Além disso, mostra conhecimento em construções de aplicações na Internet em bancos de dados para Oracle 9i e Oracle Database 10g. Mais informações.

 

Cisco Certified Internetwork Expert

É uma das certificações mais importantes do mercado, requerida por engenheiros de rede que são submetidos a um rigoroso processo seletivo, que abrange prova escrita com 100 questões e testes de laboratório, que atesta a capacidade de resolução de problemas e configuração dde infraestrutura de TI pelos profissionais.

 

Information Technology Infrastructure Library (ITIL)

Essa certificação é emitida a partir de um framework muito popular e por isso é considerada requisito básico em algumas corporações. É voltada para gestores de processos e pessoas relacionados a infraestruturas de TI e seus workflows.

As boas práticas do gerenciamento de TI são aplicadas em ciclo — ideação, planejamento, execução e controle de resultados e a prova abrange ainda conceito ágil, lean e DevOps. É dividida em 5 níveis:

  • Certificação ITIL Foundation: 40 questões de múltipla escolha, tempo de duração da prova de 60 minutos e mínimo de 65% de aproveitamento para aprovação;
  • Certificação ITIL Practitioner: um plus da certificação Foundation;
  • Certificação ITIL Intermediate: para profissionais de TI que já tenham conhecimento intermediário sobre gestão de ativos de TI, service desk e gestão de incidentes;
  • Certificação ITIL Expert: são avaliados ciclo de vida dos serviços, processos e cargos na gestão de TI;
  • Certificação ITIL Master: último nível, para cargos seniores ou profissionais com atuação mínima de cinco anos em cargos gerenciais.

 

Project Management Professional, da PMI (Project Management Institute)

Uma das áreas mais importantes de TI é a de projetos – e está sempre precisando de bons gerentes. Essa certificação habilita o profissional a se tornar um gerente de projetos. Para fazer a prova, é preciso comprovar experiência de 4.500 horas nos últimos 6 anos para a categoria I e 7.500 horas nos últimos 8 anos para a categoria II. Mais informações.

 

Computing Technology Industry Association (CompTIA)

Essa certificação aborda tópicos em segurança de sistemas e hardwares, como criptografia e gestão de identidade de acesso. Para obtê-la é preciso, pelo menos, dois anos de experiência em funções relacionadas à segurança de rede e se submeter a uma prova com questões de múltipla escolha e cujo aproveitamento mínimo seja de 80%.

O profissional que adquire uma de suas certificações — CompTIA IT Fundamentals+ (ITF+), Comp TIA A +, CompTIA Network+, CompTIA Security+, por exemplo, também torna-se capaz de gerenciar banco de dados e atuar na resolução de problemas com redes e sistemas operacionais.

 

Conclusão

A eficiência na gestão de uma infraestrutura de TI está condicionada ao uso de soluções disruptivas e às habilidades individuais dos profissionais que lidam diariamente com a tecnologia.

Nesse contexto, as certificações se tornam requisitos imprescindíveis e um grande diferencial competitivo, tanto para a empresa, que garante produtividade e eficiência, quanto para os profissionais que têm melhores oportunidades de crescimento e de reconhecimento pela sua capacidade de apresentar soluções mais ágeis e adequadas para os problemas e demandas relacionados à tecnologia.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn

Posts Relacionados

ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA
NOSSOS MELHORES CONTEÚDOS!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos