Monitoramento do tráfego de redes

Informação vale ouro. Essa é uma frase utilizada há muitos anos, antes mesmo da internet. Mas, com o crescimento da rede mundial de computadores e a transformação que ela causou no mundo, ganha ainda mais sentido.

Hoje, é possível adquirir uma infinidade de dados extremamente importantes para o seu negócio. A dificuldade está em tratá-los e analisá-los de modo a gerar valor para o seu negócio. Dito isso, a análise das informações relativas ao tráfego da rede das empresas é de extrema importância para reduzir custos, descobrir gargá-los e otimizar o envio e recebimento de dados da rede das organizações. Logo, o monitoramento de tráfego da rede é uma atividade-chave para qualquer empresa. Neste artigo vamos apontar os principais erros cometidos no monitoramento de tráfego de redes e as possíveis soluções que você pode adotar para contorná-los. Confira!

 

1. Não definir metas de monitoramento de tráfego

Ao monitorar o tráfego da sua organização, você poderá encontrar uma enormidade de informações, denominadas metadata. O alto volume de dados pode confundir a equipe e fazer com que ela ou o profissionail responsável pelo monitoramento não perceba importantes insights para a resolução de problemas e identificação de gargalos.

Por isso, liste as principais limitações e necessidades da sua rede antes de começar o monitoramento. Dessa maneira, será mais fácil identificar uma informação valiosa quando ela surgir.

 

2. Adotar reações diferentes para mesmos problemas

O monitoramento de tráfego é capaz de identificar diferentes problemas e situações na rede da sua organização. Desde um vírus que infectou a rede através de um e-mail específico até downloads que não deveriam estar sendo feitos (como via torrent, por exemplo), é possível constatar a origem do problema em tempo real.

Diversas empresas perdem tempo ao adotar diferentes soluções para a mesma situação. Portanto, crie protocolos para problemas comuns, a fim de agilizar a resolução e conscientizar os demais colaboradores sobre os malefícios de determinadas práticas, o que nos leva ao próximo erro.

 

3. Não utilizar as informações para conscientizar

Explicar os motivos de determinadas ações normalmente sai mais barato do que tomar medidas proibitivas. Afinal, a conscientização é a melhor maneira de fazer seus colaboradores entenderem as decisões tomadas pela diretoria.

Por isso, explique porque determinados downloads e sites prejudicam toda a rede. Baseie as explicações em dados provenientes dos monitoramentos e adote uma linguagem menos técnica, focada no público-alvo. Você pode se surpreender com a mudança de comportamento dos colaboradores. Embora o simples bloqueio pode ser eficiente para determinados setores, pode minar a criatividade de áreas que precisam buscar fontes de informações em diferentes lugares. Além disso, existem diversas maneiras de escapar dos bloqueios impostos e se o seu funcionário não quer trabalhar, não é um bloqueio que irá fazer com que ele se torne produtivo.

 

4. Não escolher a tecnologia correta para sua realidade

Diversos fatores influenciam na capacidade de monitoramento de rede de uma empresa. A rotatividade de colaboradores nas equipes de TI e a mudança de rotinas, quantidade de probes (que muitas vezes é um fator de variação de preço), quais informações os administradores de redes desejam visualizar e necessidades específicas devem ser detalhadas e consideradas na contratação de uma solução.

Por isso, é importante que o software utilizado seja de fácil compreensão, para que novos funcionários possam utilizar o máximo de sua capacidade. Dessa forma, a empresa não perde tempo nem dinheiro com a rotatividade.

Conheça o OpMon Traffic Analyzer, desenvolvido por nós! Clique aqui para ver como funciona nossa solução para monitoramento de tráfego de redes e entenda como ela ajudará a resolver inúmeros problemas da sua organização.

 

Monitoramento de rede via sFlow e NetFlow

Para monitoramento das informações trafegadas na rede, disponibilizamos para os nossos clientes o OpMon Traffic Analyzer, solução que utiliza os protocolos NetFlow e sFlow para enxergar o que passa na rede da sua empresa. Para saber mais sobre o produto clique aqui.

 

Entre as principais funcionalidades de uma ferramenta para monitoramento do tráfego de rede estão:

1. Entender o comportamento de tráfego da sua organização
2. Identificar a origem dos problemas gerados por anomalias do tráfego
3. Validar o impacto das mudanças planejadas na rede
4. Descobrir a causa-raíz do congestionamento da rede
5. Medir o consumo de links de cada aplicação ou usuário

 

O monitoramento de redes é uma das prioridades da TI da sua empresa?

Os profissionais de TI sabem que até mesmo os equipamentos de última geração e os softwares mais atualizados não garantem sistemas imunes a erros. Por isso, qualquer sistema crítico para um negócio deve ser monitorado constantemente para evitar interrupções que prejudiquem sua utilização pelos usuários. Leia o nosso post sobre a importância do monitoramento de redes