diferenças entre banco de dados

Veja as diferenças entre os principais banco de dados

Quando falamos nas diferenças entre banco de dados, estamos nos referindo a Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados, ou SGDB’s, que são conjuntos de softwares cuja principal função é gerenciar acesso às informações contidas nos bancos de dados propriamente ditos — arquivos físicos armazenados em disco.

Os bancos de dados mais difundidos no mercado são os relacionais, que armazenam informações em formas de tabelas compostas por linhas e colunas, relacionando-se entre si por meio de uma propriedade chamada Integridade Referencial.

 

As diferenças entre banco de dados mais conhecidos

Existem diversos tipos de banco de dados, alguns proprietários e outros não. Entre os principais bancos de dados atualmente no mercado, destacam-se:

 

Oracle

A Oracle é atualmente a empresa com maior fatia do mercado. Seu banco de dados é famoso pela robustez, segurança e capacidade de gerenciar enormes quantidades de dados. Além disso, ele pode ser instalado em diversos sistemas operacionais, como Windows, Linux e Solaris. O hardware entretanto, deve ser bastante potente para não prejudicar o desempenho da aplicação. Ver monitoramento de banco de dados Oracle.

 

SQL Server

O sistema de bancos de dados da Microsoft também domina boa parte do mercado, é de administração mais fácil que o Oracle, e possui bom desempenho. Seu ponto negativo é que só é executado no sistema operacional da Microsoft, embora exista algum esforço da empresa atualmente para lançar uma versão para Linux.

 

MySQL

Adquirido há alguns anos pela Oracle, é um SGDB que funciona sob as licenças de software livre e comercial. É um banco muito poderoso e bastante usado para desenvolvimento de websites que trabalham com a linguagem PHP e o servidor web Apache. Grande parte de seu uso, na verdade, é em conjunto com esses dois produtos, mas nada impede que seja usado como um SGDB de uma aplicação comercial, por exemplo.

É executado em diversas plataformas, como Linux, Windows, Solaris, FreeBSD, MacOS, etc. O uso da versão enterprise é condicionado a vínculo contratual com o fabricante.

 

PostgreSQL

Esse banco poderoso e totalmente free tem crescido e conquistado a simpatia de administradores de bancos de dados, principalmente os DBA’s Oracle, pela semelhança na sua linguagem e estrutura, embora não seja tão sofisticado nem exija um hardware tão poderoso quanto o Oracle. Ele atende a grandes demandas de sistemas corporativos com uma performance muito boa. Também pode rodar nas principais plataformas de sistemas operacionais. Sua maior deficiência está na falta de uma interface de administração que faça frente aos bancos de dados proprietários.

Consiste, ainda assim, em uma excelente escolha. Para verificar a sua utilização ou não uma das formas de se tomar decisão, além de suas características, é a análise de TCO, Custo Total de Propriedade, já que é cem por cento free e pode ser executado no Linux que, aliás, é o ambiente ideal para ele.

 

DB2

Banco de dados relacional da gigante IBM, o DB2 não tem uma fatia tão grande do mercado, embora seja bastante robusto e executável em diversas plataformas. Usado para grandes sistemas, ele é otimizado para trabalhar com o hardware da própria fabricante. Provavelmente, questões de licenças e modelos de negócios estabelecidos para ele tenham desfavorecido sua disseminação nos últimos anos.

 

NoSQL

Não se trata de um produto em si, mas de um modelo que vai além dos bancos de dados relacionais mencionados acima. Os bancos NoSQL surgem como uma proposta para trabalhar com grandes quantidades de dados. O grande calcanhar de Aquiles dos bancos relacionais é a degradação que acompanha o crescimento de suas tabelas.

O modelo NoSQL — Not Only SQL, traduzido como “não somente SQL” — traz o melhor da linguagem SQL, padrão dos bancos relacionais, mas sem se prender totalmente à obrigatoriedade da integridade referencial, que é característica fundamental nesse modelo.

Muitos gigantes do mercado, como Google e Facebook, adotaram o modelo NoSQL como resposta à sua necessidade de gerenciar com eficiência e rapidez suas crescentes bases de dados.

 

A escolha do melhor banco de dados

Depois de entender a diferenças entre banco de dados é hora de escolher um para utilizar. Geralmente, a melhor escolha será aquela que melhor se adequar à nossa necessidade. O importante é conhecer cada produto, entender as principais diferenças entre banco de dados e o que podem oferecer, para comparar com o que estamos buscando. Assim, poderemos decidir qual atende melhor ao nosso ambiente corporativo.

 

Monitoramento de Banco de Dados

Além da escolha do Banco de Dados certo, também é preciso gerenciá-lo da forma adequada. Para isso, temos apoiado nossos clientes através do monitoramento de banco de dados com o OpMon. Muitos DBAs utilizam as métricas do OpMon monitorando bancos de dados para automatizar a descoberta de causa raiz dos problemas. Veja um exemplo:

 
Dashboard Oracle Health

 

Monitore seu banco de dados com o OpMon

 
Artigos relacionados: Indicadores Gerenciados de Banco de Dados | Monitoramento de banco de dados Oracle | A importância do gerenciamento de banco de dados.