Conheça o APM: Application Performance Management

Por: Aldry Rocha em 02.10.2020
Application Performance Management

O funcionamento de qualquer negócio, hoje em dia, é fortemente apoiado pela tecnologia. Portanto, a realização do monitoramento de desempenho e otimização dos sistemas que sustentam as empresas, de maneira pró-ativa, garante uma maior estabilidade e disponibilidade das aplicações. Consequentemente isso gera uma melhor experiência para o usuário, que é sempre o mais importante.

Essa é a responsabilidade do APM (Application Performance Management), realizar o gerenciamento de desempenho de aplicações para trazer uma melhor experiência para os usuários e maior visibilidade para os desenvolvedores e responsáveis pela infraestrutura.

Quer entender como funcionam as aplicações do tipo APM e como elas ajudam a trazer insights sobre possíveis melhorias? Então continue conosco que explicaremos tudo nesse artigo.

 

O que é APM?

Também conhecido como Application Performance Management, o APM é um tipo de software, ou até serviço, que se certifica se os softwares estão com o desempenho e performance adequada. Ele monitora a velocidade e a linearidade de transações digitais dos mais variados tipos: softwares, sistemas, infraestruturas de rede, etc.

Por meio de testes de carga, monitoramento da experiência real de usuários, desempenho web, prevenção de erros e bugs e até instrumentalizando a aplicação, o APM é um tipo de solução muito adequada para auxiliar empresas que possuem sistemas desenvolvidos internamente ou possuem grandes desafios relacionados a infraestruturas complexas. O resultado alcançado por isso, deve ser uma boa experiência final para o usuário.

As ferramentas de APM tratam de entender o “porquê” das transações estarem ocorrendo de maneira lenta ou com indisponibilidades em horários específicos. Elas acompanham o uso geral da aplicação para entender os picos e, assim, identificar rapidamente problemas como: conexão com dependências de aplicativos, consultas SQL lentas, gargalos em nível de infraestrutura ou integração, páginas web com baixa performance e ou transações em lojas virtuais com erros.

 

Dimensões serviços de APM

Segundo o APM Conceptual Framework, do Gartner, as dimensões de serviço do APM são: end user experience, runtime application architecture, business transactions, deep dive component monitoring e analytics/reporting.

Abaixo, explicamos com mais detalhes cada uma dessas dimensões de serviços do APM, descritas pelo Gartner:

 

End user experience

O monitoramento da experiência do usuário final pode ser realizada de duas maneiras: sintética/proativa ou real. A mais comum é a sintética/proativa, que é feita via robôs emuladores, que simulam o comportamento do usuário na forma real, por meio de logs de aplicação ou plugins de softwares especializados em APM. Nos dois tipos a monitoração é utilizada para gerar dashboards e disparar alarmes, caso ocorra alguma violação de tempo ou SLA.

 
AllEx

 

Runtime application architecture

O uso do runtime application architecture para conhecer o fluxo das transações é de extrema importância, pois cada vez mais as aplicações se encontram distribuídas e descentralizadas. Ter um desenho transacional atualizado de forma automática, faz parte da entrega de algumas das muitas ferramentas de APM do mercado.

 

Business transactions

Como exemplo de business transactions, podemos citar: quantidade de pedidos, quantidade de vendas de um e-commerce por hora, quantidade de chamadas de uma API. Saber as principais business transactions do seu negócio e seus requisitos de desempenho, é papel do profissional que lida diariamente com ferramentas de APM.

Em momentos de crise de desempenho e disponibilidade, saber os acordos de níveis de serviço (SLAs) definidos para cada uma das business transactions é essencial para ter conhecimento sobre o status de um serviço ou componente de TI.

 

Deep Dive Component Monitoring

Ao monitorar todos componentes de software e hardware, de forma detalhada, a resolução de problemas de desempenho se torna mais rápida e efetiva. A informação sobre todos esses componente, pode auxiliar no tratamento de causa raiz dos problemas. Entretanto, é importante ter cuidado para não gerar sobrecarga nas aplicações, pois muitas vezes esses dados são gerados com a instrumentalização das aplicações.

 

Analytics/Reporting

Normalmente, após a coleta de dados diretamente nas aplicações e infraestruturas que as sustentam, as soluções de APM fornecem ferramentas para analytics e reporting. Nesse caso, dados brutos são coletados para uma posterior análise acerca do desempenho, capacidade ou custos (caso em cloud) de uma aplicação.

 

Principais recursos das APMs

Dentre os recursos mais importantes das APM, se destaca a medição do desempenho de cada pedido/transação na web. Com esse recurso fica mais fácil de entender quais as requisições mais solicitadas e o porquê de uma possível lentidão.

Para entender mais a fundo o motivo da sua aplicação estar lenta ou com erros, você precisa ir a nível de código. Rastreando o que o aplicativo está fazendo, os desenvolvedores ou profissionais DevOps podem obter informações bem mais precisas do que está ocorrendo.

Quais códigos são chamados, quais são as suas dependências, quais trechos estão causando lentidão, como está o uso de recursos e qual o desempenho de todas suas dependências, como banco de dados, serviços da web, micros serviços, cache, etc, são perguntas que são respondidas por boas plataformas de APM.

Além disso, coletar traços detalhados de pedidos ou transações individuais, podem ajudar a se chegar na causa raiz do problema, de maneira quase instantânea. Esse é o sonho de todo o profissional de tecnologia que precisa garantir uma boa experiência para o usuário final.

Para os desenvolvedores, métricas voltadas para a aplicação como filas de solicitação, volumes de transações, tempo de carregamento de páginas são mais valiosos do que dados sobre um servidor na nuvem, por exemplo. Já para o DevOps, todos os dados relacionados com a camada de serviços em nuvem pode ser a sua prioridade. O importante é que se possua um monitoramento robusto de todas as camadas da aplicação.

Entretanto, nem todas as empresas já estão em um nível avançado de maturidade em APM para saber lidar com métricas avançadas. Uma alternativa pode ser o uso de robôs para monitorar a experiência do usuário na ponta e, assim, já começar a tratar dos principais problemas.

 
AllEx

 
Aqui na OpServices, oferecemos um serviço de criação de robôs para monitorar qualquer aplicação web ou desktop. Esses robôs (monitoramento sintético) emulam usuário reais e simulam todos os seus passos para acessar um processo crítico, como realizar uma compra em uma loja virtual, gerar a segunda via de um boleto, gerar uma NFe, entrar em uma área restrita ou portal extranet, testar software, entre diversas outras possibilidades.

Tem interesse em implementar essa solução no seu negócio? Nossos especialistas estão à disposição para atendê-los.

Compartilhe:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA
NOSSOS MELHORES CONTEÚDOS!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos