Afinal, o que é o CMDB e como ele pode ajudar a sua empresa?

Por: Pedro César Tebaldi Gomes em 16.08.2019
CMDB - Configuration Management DataBase

Se você trabalha na área de TI, é bem provável que já tenha ouvido falar em CMDB, não é mesmo? Porém, você sabe realmente de que ele se trata, qual é a sua importância, as vantagens que proporciona e como implementá-lo? Essas dúvidas são bastante comuns e é importante buscar conhecimento sobre elas para acompanhar os processos e mudanças do setor de tecnologia da informação.

Foi pensando em esclarecê-las que desenvolvemos este post, que pretende explicar os principais questionamentos acerca desse tema. Gostou da ideia? Então, é só seguir a leitura nos tópicos a seguir!

 

O que é o CMDB e qual é a sua importância?

CMDB é uma sigla em inglês para Configuration Management Database. Trata-se de um banco de dados em que são guardadas todas as informações importantes sobre itens de configuração (ICs) utilizados pelas empresas. O termo item de configuração ou IC é a qualquer componente que necessita ser configurado com o objetivo de se entregar um serviço de TI.

O CMDB é utilizado principalmente dentro do contexto do ITIL, um conjunto de boas práticas para gerenciamento de serviços de TI. O CMDB também ajuda a organização a entender o relacionamento entre componentes de tecnologia e configurações.

A ideia é que o gestor possa ter uma visão completa de todos os componentes de hardware e software, incluindo softwares de gestão, sistemas operacionais e outros programas que são utilizados pelas companhias para a execução de suas atividades. Algumas empresas utilizam um CMDB de nível corporativo para acumular informações sobre configurações, mudanças, documentações e outros dados de diferentes fontes.

Em português a sua tradução é conhecida como banco de dados do gerenciamento de configuração (BDGC)

 

Quais são as vantagens que o CMDB proporciona para o setor de TI?

As principais vantagens que o CMDB proporciona para o setor de TI das empresas, além de proporcionar uma visão ampla, são as a seguir relacionadas. Veja!

 

Identificação de itens a serem incluídos

Se algum item da infraestrutura de TI estiver fora do mapeamento do CMDB, os gestores poderão visualizar isso com agilidade e garantir que ele seja incluído. Dessa maneira, é possível ter um controle maior sobre o ambiente de tecnologia da empresa.

 

Controle de dados

Como explicamos, o CMDB gpossibilita que os gestores de TI tenham controle sobre os dados presentes nos softwares das empresas. Assim, as informações só poderão ser modificadas por pessoas autorizadas, evitando fraudes e eventuais erros causados por profissionais não qualificados para a execução de determinada tarefa.

 

Manutenção de status

O uso do CMDB proporciona que o atual status de qualquer item de configuração seja atualizado e gravado constantemente. De tal forma, modificações só ocorrerão nos momentos necessários.

 

Verificação por meio de auditorias

Ao utilizar o CMDB fica mais fácil de fazer verificações dos quadros da empresa por meio de auditorias e revisões de dados. Assim, pode-se garantir que os dados estejam todos corretos.

 

Como iniciar a implementação do CMDB?

Os projetos de CMDB tem um longo processo de implementação, gerando ainda a necessidade de contar com o suporte de todos que fazem parte da organização. A ideia é que sejam realizadas mudanças na infraestrutura e também na cultura da empresa para que a tecnologia seja sempre utilizada como base para a execução das atividades.

Para iniciar a implementação é necessário fazer um levantamento de quantos sistemas a empresa usa, quais são os componentes, servidores e switches que tem etc. Porém, essa etapa não é a mais complicada!

Mais difícil do que implementar o CMDB é mantê-lo, uma vez que deve ser feita uma mudança na forma como as pessoas desenvolvem as suas atividades. O objetivo é criar uma conscientização para que velhos hábitos sejam mudados. Caso contrário, não terá valido a pena o investimento.

 
OpMon 360

 

Utilização de CMDB com o Software OpMon

O CMDB é uma base informações que torna possível o acompanhamento de todo ciclo de vida de um serviço ou IC, dentro de um contexto ITIL. Com a integração do OpMon com diferentes plataformas de Service Desk e de inventário de hardware e software, torna-se possível um acompanhamento deste nível.

Uma das integrações mais desenvolvidas é com a solução opensource OTRS, que possibilita o registro de atendimentos de tickets via e-mail ou telefone. A solução possui um banco de dados de mudanças (CMDB) integrado à plataforma, permitindo o gerenciamento completo do ciclo de vida (Life Cycle Management) de Hosts (ICs) e Serviços (AICs) de forma automática.

A qualquer momento é possível consultar no CMDB o histórico de versões deste e outros itens de configuração que estão ou foram gerenciados pelo OpMon obtendo conhecimento de informações vinculadas tais como dependências entre os próprios itens de configuração e serviços, requisições atendidas, resolução de incidentes, mudanças efetuadas, resolução de problemas, entre outras informações disponíveis.

 
E aí, curtiu o nosso post? Então deixa um comentário abaixo e compartilha nas redes sociais.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn

Posts Relacionados

ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA
NOSSOS MELHORES CONTEÚDOS!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos