KGIs – Key Goal Indicator

Os Key Goal Indicators, ou simplesmente KGIs, são indicadores que metrificam se algum objetivo da empresa foi alcançado. Por aqui, o termo costuma ser traduzido como Indicador Chave de Objetivos.

Mas o que isso quer dizer, exatamente? E por que você deve ficar de olho no indicador? No post de hoje, entenda o conceito por trás dessa medida e veja como estabelecer indicadores de metas pode auxiliar, e muito, sua gestão. Continue a leitura!

 
O que é KGIs - Key Goal Indicators

 

Para que serve um KGI

KGI são lagging indicators, ou seja, indicadores cuja principal função é confirmar, ou não, se uma meta importante para os negócios foi atingida. É uma forma de tangibilizar um conceito que muitas vezes pode ser demasiadamente abstrato: o sucesso.

Na prática, um KGI deve apontar o que precisa ser realizado para que um projeto ou setor possa ser considerado bem-sucedido. Assim, eles não devem ser vagos, mas objetivos e facilmente mensuráveis.

O ideal é que os KGIs sejam expressados em formatos de números ou porcentagens. Eles exibem como a TI contribui para a missão e objetivos da empresa e, assim, garantem o alinhamento entre os níveis operacional e estratégico.

 

O que medir por meio de KGIs

Obviamente, cada empresa tem objetivos distintos. Entretanto, alguns deles podem ser comuns em praticamente todos os contextos, como o desejo de ter maior disponibilidade de serviços ou de reduzir custos.

Contudo, cabe aos gestores, tendo em vista o cenário em que a empresa está inserida, definir metas específicas que precisam ser atendidas. Além disso, é necessário levar em conta não apenas os objetivos futuros, mas também o histórico de desempenho.

 
Veja alguns exemplos de objetivos de TI que podem ser medidos por meio desses indicadores-chave:

  • alcançar retorno de investimento direcionado ou benefícios de valor de negócios;
  • gerenciamento de desempenho aprimorado;
  • reduzir os riscos de TI;
  • percentagem de SLAs revistas no período acordado;
  • melhorias de produtividade;
  • cadeias de fornecimento integradas;
  • processos padronizados;
  • aumento da prestação de serviços;
  • captação de novos clientes;
  • criação de novos canais de prestação de serviços;
  • disponibilidade de largura de banda, potência de computação e mecanismos de entrega de TI;
  • tempo de inatividade;
  • cumprimento dos requisitos e expectativas do cliente dentro do orçamento e no tempo previsto;
  • custo por cliente atendido;
  • adesão aos padrões da indústria.

 

As diferenças entre KGI e KPI

Mesmo que você não conhecesse o conceito de KGI, é provável que já tenha ouvido falar de uma métrica “prima” dele: os KPIs, ou Key Performance Indicators. Estes são indicadores-chave de desempenho, utilizados para quantificar a evolução do trabalho e ajudar no planejamento do curso de ação que deverá ser seguido.

O KPI, por sua vez, é um leading indicator, que aponta o quão bem um processo está executando seu objetivo de alcançar o KGI. Frequentemente, eles são usados para medir valores como benefícios, eficiência, eficácia, qualidade e satisfação.

Diferentemente do KGI, que deve ser revisado ao final de um projeto ou ciclo predeterminado, os KPIs devem ser acompanhados constantemente. Afinal, eles permite sabermos se um objetivo será ou não atingido. De forma simplificada, o KGI olha o passado para definir se o que foi planejado deu certo, enquanto o KPI visa o futuro para que as devidas correções possam ser feitas.

Deu para perceber o quanto essas metas são importantes para a evolução constante dos serviços de tecnologia da informação, não é mesmo? Agora, para continuar recebendo mais dicas de gestão e levar o desempenho da sua empresa para outro nível, siga-nos no Facebook, LinkedIn, Twitter, YouTube e Google+!