Backup - Boas Práticas e Procedimentos

Quando falamos sobre a segurança da informação e em formas de preservar seus dados, uma das rotinas essenciais são as boas práticas de backup. Por meio desse método é possível proteger suas informações e restaurar qualquer dado, caso algum procedimento não saia como esperado.

Na hipótese de algum sistema ser danificado ou certo hardware falhar, é primordial confiar em um arquivo de backup para recuperar os dados, poupando-se de prejuízos financeiros e outras complicações, como a perda de informações dos clientes, o que afeta muito a empresa.

Continue lendo o post para entender melhor sobre os procedimentos indispensáveis oferecidos por essa rotina. Confira!

 

Quais são as boas práticas de Backup?

1. Tenha um servidor reserva

Ao necessitar dos serviços de uma empresa de soluções de governança de TI, é importante buscar uma companhia que ofereça backup automatizado e virtual para, além de alavancar a produtividade, prevenir que a sua segurança não consista totalmente de ações manuais e, consequentemente, falhas humanas.

Por isso, empresas especializadas disponibilizam backup automatizado cotidianamente aos seus usuários, com opção de segurança própria contra ataques virtuais.

As modalidades disponibilizadas permitem que você mesmo faça a restauração de seus dados com total autonomia, por meio do painel de controle. Uma recomendação importante é manter cópias dos arquivos em datacenters diferentes. Isso porque, não são incomuns incêndios em datacenters com perda de dados para empresas que não tenham redundância em outra região.

 

2. Mantenha a constância dos backups

A constância entre eles decorrerá de quão essencial é um arquivo ou sistema. Quanto maior a relevância de uma informação para um negócio, menor será o período para realizar a rotina de backup.

As cópias podem ser realizadas diariamente — em uma agenda com menor demanda, sempre que a situação do arquivo for alterada — ou em ciclos de tempo mais longos, caso a informação não seja tão relevante.

Portanto, estabeleça uma programação de backup imediatamente, caso ainda não tenha implantado um. Preservar seus dados de todas as eventualidades é indispensável.

 

3. Pense em recuperação sempre

Não faça backup dos arquivos no mesmo disco rígido em que o Windows está instalado. Por exemplo, dos arquivos em uma partição de recuperação. Sempre armazene a mídia usada para os backups (discos rígidos externos, DVDs ou CDs e na nuvem) em um lugar seguro para evitar que pessoas não autorizadas tenham acesso aos seus arquivos. É recomendável usar um local à prova de fogo, separado do seu computador. Você também pode considerar criptografar os dados no backup.

Assim, em caso de danos na sua máquina ou dispositivo móvel, os dados e informações estarão intactos e prontos para serem restaurados para sua fonte, consequentemente, não prejudicando tarefas dependentes do banco de dados.

 

4. Atente ao tamanho

Por padrão, devemos escolher compactar os arquivos de backup para reduzir os custos de armazenamento e diminuir o tempo de transferência.

O tamanho do arquivo compactado varia conforme as propriedades das informações do banco de dados. Porém, geralmente, eles reduzem para até ⅓ do tamanho original, equalizando os custos de armazenamento para seu negócio e minimizando o tempo de upload dos backups.

Em um exemplo real, do nosso software de monitoramento de infraestrutura de TI, todos os dados reais monitorados minuto a minuto ocupam um volume X. Em caso de necessidade de redução de custos, indicamos a sumarização de dados quando for possível.

 

Conheça as diferenças entre armazenamento na nuvem e backup na nuvem

É normal vermos profissionais experientes se referirem a armazenamento e backup na nuvem como se ambos fossem termos diferentes para o mesmo procedimento. Na realidade, são processos com objetivos e funcionamentos distintos.

 
Backup na nuvem

 

Armazenamento na nuvem

Permite que diferentes usuários consigam acessar e compartilhar softwares, arquivos e outros aplicativos por meio de uma rede de servidores remotos que podem ser acessados de qualquer dispositivo conectado à web. Garante o acesso a todos os documentos e informações da empresa 24 horas por dia, 7 dias por semana e no local e na hora que você precisar.

O armazenamento em nuvem dá às pequenas e médias empresas a chance de contar com uma infraestrutura de segurança de dados digna das gigantes. Algo que antes era inviável devido ao alto custo de manutenção. Provavelmente, sua empresa já é ou foi usuária de algum serviço de armazenamento em nuvem. É a tecnologia presente em serviços como o Google Drive e o Dropbox.

 

Backup na nuvem

Backup é termo do mundo da informática que pode ser traduzido para cópia de segurança. Como o nome sugere, é o processo de replicação de um conjunto de dados armazenados em um dispositivo para outro sem a exclusão do original. Em geral, as cópias são de algum computador ou sistema de rede compartilhado para um servidor considerado mais seguro. Pode ser feito tanto de forma manual (o famoso ctrl+c/ctrl+v) quanto de forma automatizada por meio de um sistema que crie cópias dos dados em um local de segurança em períodos de tempo preestabelecidos.

Criar e armazenar adequadamente cópias de segurança é essencial para que os dados de uma rede ou dispositivo possam ser facilmente recuperados em caso de incidentes, como arquivos que são deletados sem querer, corrupção de dados e até mesmo roubo de computadores.

Quando falamos de backup na nuvem estamos nos referindo ao mesmo processo de gerar cópias de segurança só que, nesse caso, elas são hospedadas em nuvem, o que aumenta a segurança das informações e garante um processo de recuperação de dados mais ágil. Outra grande vantagem são os custos reduzidos em comparação com a opção de realizar o backup em servidor interno.

 

Principal diferença entre armazenamento e backup em nuvem 

Confuso? Calma, os dois processos realmente são parecidos entre si, mas, de forma resumida, podemos dizer que a principal diferença entre ambos é o objetivo final e a temporalidade de cada um. O backup em nuvem é mais utilizado como uma estratégia de segurança de dados e garante que a rotina de trabalho não seja profundamente impactada por problemas técnicos.

Já o armazenamento em nuvem tem foco no processo de trabalho em si. É uma solução que passa a fazer parte da rotina de todos ou quase todos os funcionários de uma empresa. Uma maior segurança de dados também é consequência desse processo, mas não o seu objetivo principal, que é voltado para o aumento da colaboração e produtividade na equipe.

E, claro, o backup é feito com dados “do passado” já salvos, enquanto o armazenamento na nuvem arquiva os dados para eles serem trabalhados em tempo real.

 
Em resumo, seguir boas práticas de Backup é crucial para evitar prejuízos e a perda de confiança por parte do cliente em sua empresa. Esperamos que as informações mencionadas auxiliem para um melhor entendido sobre a tarefa!